15 julho 2014

Saúde e Bem estar: O vírus HPV e a importância da vacinação!!

Olá, amores vi este vídeo carta que esta menina de 13 anos enviou a Presidente Dilma! Não poderia deixar de fazer um post e alertar as pessoas adultas e desinformadas que orientam essas pobres crianças que não sabem de nada. Esta menina de 13 anos acha que está a dar uma lição de moral na nossa Presidente, mas acho este vídeo é de um tremendo mal gosto. Acho que antes de colocarem estes tipos de vídeos na internet deveriam se informar primeiro. Não sou a favor da Presidente Dilma, não gosto dela e nem votei nesta senhora graças a Deus. Quando o governo brasileiro disponibilizou estas vacinas contra o HPV, não disponibilizaram com o intuito de incentivar o sexo entre menores de 13 anos. Uma menina quando é vacinada antes de iniciar a sua vida sexual ela esta protegida de alguns tipos de HPV...até porque existem vários. Os homens sejam eles quem for muitos tem o vírus incubados e não são ativos neles, então o que acontece você até pode ser virgem mas se tem relações com um homem que possa ter este vírus você pode correr o risco de desenvolver a doença. Por isso venho com este post alertar os pais destas menores que a vacinação contra o HPV é muito importante.
A esta menina eu deixo um recado, você dá pagando o maior mico e incentivando outras meninas a não vacinarem-se!!Isto é uma grande ignorância...

Deixo abaixo um texto mais detalhado sobre a doença que copie do site do Ministério da Saúde Brasileiro.

Saiba o que é vírus HPV e importância da vacinação

O HPV (papilomavírus humano)  é o nome dado ao grupo de vírus  que engloba cerca de 150 tipos diferenciados. Dentre eles, uma parte significativa afeta diretamente as partes genitais. Por isso, muitos associam diretamente a presença do vírus através do contágio sexual. Porém, não se podem descartar outras vias de contágio, como pele e mucosa infectadas ou até mesmo durante o parto, de mãe para filho.

Como a DST é detectada

Nos homens, as lesões são facilmente reconhecidas por exame clínico-visual, pois a anatomia do órgão masculino favorece a identificação imediata pelo médico. Porém, existe a probabilidade de não ser detectada a olho nu. Neste caso, o médico poderá indicar um teste chamado peniscopia.
Já nas mulheres, as lesões podem se expandir por toda a área genital e chegar ao colo do útero. Portanto, são visualmente difíceis de perceber. Neste caso, o HPV é identificado somente com exames especializados, como o Papanicolau, e descamação da pele para biópsia.
Além do trato genital, o vírus pode originar verrugas na pele, lábios, boca e cordas vocais.

Riscos do HPV

Especificamente no trato genital, as lesões imprimem elevado risco, pois podem resultar em tumores malignos. Entretanto, não podemos definir a infecção pelo HPV como resultado certo de câncer.
O contato com um dos tipos de vírus é muito comum. Cerca de 80% das mulheres terão, ao logo da vida, contato com pelo menos um dos tipos de papiloma existentes. Em muitos casos, a presença da infecção é temporária, pois é combatida pelo sistema imune.

Sintomas

Em alguns casos, a doença não manifesta sintoma; em outros, pode se manifestar em forma de verrugas, semelhantes ao formato de uma couve-flor, sendo identificados em exames clínicos ou em exames especializados. O caso se agrava quando há multiplicação acelerada das células infectadas pelo vírus, resultando no diagnóstico de câncer.

Possíveis tratamentos

Em muitos casos, a doença é eliminada pelo sistema imune e as mulheres nem percebem que já tiveram contato com o vírus.
Quando se detecta a presença do HPV, ele não pode ser combatido, e sim as lesões pré-malignas e verrugas originadas pela presença do vírus. Os procedimentos prováveis são cauterização e laser. Se o diagnóstico dor câncer, o tratamento é cirúrgico.

Vacinação

Em março de 2014 deu-se início à Campanha de Vacinação Contra o HPV. O objetivo é que as pré-adolescentes de 11 a 13 anos tomem a vacina. Nesta faixa etária, estima-se que ainda não iniciaram a vida sexual ativa. Portanto, por não ter tido até então nenhum contato com o vírus, a vacina torna extremamente eficaz na prevenção.
A vacinação compreende-se em três doses. A segunda aplicação deverá ser feita seis meses após à primeira. Já a última, cinco anos depois.

Confira aqui o Guia Prático sobre o HPV – Perguntas e Respostas
Para facilitar a abordagem do público-alvo, os agentes de saúde irão às escolas particulares e públicas para aplicar a vacina. Se o responsável não concorda com a imunização, deve assinar um termo e entregá-lo ao agente de saúde.
É importante salientar que é de suma importância a vacinação, pois o câncer do colo do útero é a segunda maior causa de morte entre as mulheres e a imunização precoce é uma aliada no combate às estatísticas tão elevadas. Quer mais informações? Confira aqui o Guia Prático sobre o HPV – Perguntas e Respostas – disponibilizado pelo Ministério da Saúde.

Sejam inteligentes...
beijo amores
Francini Soares